post-title Mercado de automação residencial dá sinais de crescimento 2011-11-27 13:48:05 yes no Publicado por: Categorias: Notícias

Mercado de automação residencial dá sinais de crescimento

Nos últimos três anos, o mercado de automação residencial vem crescendo a uma média de 35% ao ano em número de projetos. De olho nesse crescimento, a cada dia surgem novos fornecedores nacionais e internacionais oferecendo soluções cada vez mais funcionais e acessíveis.

    A Associação Brasileira de Automação Residencial (Aureside), que congrega fabricantes e profissionais do setor, há três anos tinha 15 associados, hoje são mais de 40. De acordo com o conselheiro da associação, José Roberto Muratori, ao contrário de países mais desenvolvidos, como alguns países da Europa e os Estados Unidos, por exemplo, que se encontram em crise, o Brasil ainda tem um grande potencial de crescimento na área tecnológica. “O público que hoje está comprando a sua primeira casa ou apartamento, de forma geral, é de pessoas jovens antenadas com as tecnologias e que gostariam de utilizar seus smartphones ou tablets também na automação residencial”, afirma ele.

    Muratori ressalta que o custo de um projeto de automação residencial hoje está 50% mais barato do que há cinco anos. “Com a combinação de aumento da procura pela automação residencial, crescimento da oferta de produtos e serviços e preços mais acessíveis, já se percebe carência de profissionais capacitados para atender à demanda”, afirma ele. 

    Um curso realizado na Incubadora Tecnológica de Curitiba (Intec) entre os dias 22 e 24 de agosto  para capacitar integradores de sistema de automação residencial é uma das iniciativas da Aureside para fazer frente a essa demanda. “Os fabricantes não vendem diretamente para o morador de uma casa. O sistema de automação tem que ser projetado, especificado e instalado por um integrador”, explica Muratori.

    No curso de 40 horas/aula os cerca de 20 participantes recebem desde noções de como se dirigir ao cliente e informações sobre o mercado de automação até capacitação técnica em cabeamento, automação sem fio, entre outros assuntos. Após as aulas presenciais, a formação é complementada pela internet e os alunos são encaminhados para treinamentos com fornecedores. A grande maioria dos participantes, cerca de 90%, está interessada em montar negócio próprio. 

    É o caso do engenheiro mecatrônico Lucas Barbosa Melo, que veio de Goiânia para participar do curso. “A gente vê que a formação é promissora. O meu objetivo é abrir a minha empresa de automação residencial porque esse ramo em Goiás é escasso”, disse ele. 

Iluflex
    Caso de sucesso na área de automação residencial, a empresa, que iniciou suas atividades há três anos em Curitiba e contou com o apoio da Incubadora Tecnológica de Curitiba (Intec), foi que solicitou à Aureside a realização do curso de formação de integradores no Paraná. Na sua 53º edição, normalmente esse curso é realizado em São Paulo.

    A Iluflex é focada na comercialização de equipamentos de automação residencial sem fio e vem dobrando suas vendas a cada seis meses. Segundo um dos sócios da empresa, Milton Minoru, a ideia de trazer o curso para Curitiba é para estimular a formação de integradores na região Sul, mostrar as vantagens das soluções sem fio e capacitá-los na instalação dos produtos Iluflex.

    Minoru disse que a automação residencial ainda é bastante concentrada em soluções por cabo, mas que os produtos sem fio vêm ganhando espaço. Segundo ele, as duas soluções têm custos e segurança semelhantes, mas as soluções wireless (internet sem fio) dependem de menos adaptações no imóvel – quebra de paredes para passagem de fios. “Queremos mudar o conceito para que as pessoas passem a adotar ainda mais os equipamentos wireless”, afirma ele.

    A automação residencial permite hoje o comando por um tablet ou smartphone dos mais diversos equipamentos eletrônicos, de segurança, de iluminação, ar condicionado e até mesmo fechamento de cortinas e acionamento de sistemas de irrigação. Segundo informações da Iluflex, um sistema básico de automação residencial sem fio pode custar de R$ 2 ou 3 mil até 50 mil, dependendo do porte do imóvel, da quantidade de equipamentos a serem integrados e da necessidade de adaptações. Um imóvel que já seja construído pensando-se na automatização posteriormente terá custos de instalação significativamente inferiores. 

fonte:TECPAR-Paraná.