standard-title SERVIÇOS

SERVIÇOS

Alarmes Microprocessados

Com a evolução da tecnologia e com a necessidade de melhorar a qualidade de segurança em todo mundo, as empresas fabricantes de alarmes deixaram de produzir apenas aqueles que soavam a sirene no local protegido, para desenvolver produtos que também fazem a comunicação da violação (alarmes microprocessados).

Hoje,o mercado mundial não tem espaço para os sistemas de alarmes convencionais, visto que a cada dia os ladrões e assaltantes estão cada vez mais interagidos e mais profissionais. Os sistemas de alarmes microprocessados possibilitam comunicação por telefonia convencional, celular e/ou através de rádio freqüência, informando (através de linguagem própria), para uma central de operações, tudo o que ocorre no sistema de alarme, alguns dos tipos de sensores que hoje, complementam um sistema integrado para sua segurança total.

Sistemas de Alarme Contra Roubo

São sistemas de alarmes que visam uma atitude preventiva e inibidora. Pela sua atuação efetiva, detecta e sinaliza a violação das condições de segurança pré-estabelecidas.

  • Central de Alarme Inteligente: Interligada aos sensores espalhados pela propriedade, tem a finalidade de detectar e avisar situações de alarme ou interferências no funcionamento.
  • Sensores infra vermelho passivo e ativo: Detector de presença física móvel para proteção de áreas fechadas ou abertas, com até 200 m de alcance.
  • Sensores por ultra-som: Detectam ruídos de quebra de vidraças.
  • Sensores magnéticos de abertura: Fazem a proteção de pontos vulneráveis (portas e janelas), que dão acesso ao interior da propriedade.
  • Ponto de pânico silencioso: Dispositivo escamoteado em lugar não visível, que permite o disparo do nosso sistema silenciosamente, em uma situação de emergência.

Antenas

Um sistema de antena coletiva é constituído, basicamente, de duas partes: a cabeceira e a distribuição. A cabeceira é a parte do sistema formada pelas antenas, misturadores e amplificadores, e tem por função receber, combinar, equalizar e amplificar os sinais recebidos. Já a distribuição dos sinais é realizada por divisores e tomadas. Para projetar a cabeceira, é preciso saber quais canais de TV vão ser distribuídos, de onde eles vêm e com que nível de sinal eles chegam. Por exemplo, os canais transmitidos em VHF e UHF são recebidos por antenas de VHF e UHF; canais transmitidos via satélite, são recebidos por antenas parabólicas e necessitam-se de receptores de satélite para recebê-los e modulá-los nas freqüências dos canais em que eles vão ser distribuídos; os canais recebidos em UHF podem ser distribuídos em UHF mesmo ou, então, serem convertidos para a faixa de VHF, usando os conversores de UHF para VHF. Pode-se distribuir também sinais provenientes de DVD, Videocassete ou Circuito Fechado de TV. Basta modulá-los num canal e adicioná-los ao sistema de distribuição.          Se algum canal chega fraco, com um nível de sinal baixo, pode ser preciso amplificá-lo usando um booster. A etapa seguinte é combinar estes sinais usando misturadores e depois amplificá-los para então distribuí-los.

O sistema de distribuição de sinais de antena coletiva e CATV em prédios de apartamentos é composto de uma ou mais prumadas (linhas de descida de sinal), da qual se extrai uma fração do sinal para fornecer ao usuário. Os componentes normalmente utilizados para fazer esta distribuição são as tomadas blindadas e divisores.

No dimensionamento de uma antena coletiva devemos considerar diversos fatores. Aposição das antenas, por exemplo, vai depender da localização do edifício. O estudo desse local determinará o melhor posicionamento para evitar ao máximo interferências, fantasmas etc.

Vamos supor então que desejamos fazer a instalação de uma antena coletiva num prédio de doze andares, com 2 apartamentos por andar, localizada numa capital.

Normalmente a instalação de antenas nas capitais é feita sem maiores problemas, pois dispomos de sinais fortes. As coisas começam a complicar quando os sinais são muito fracos ou quando se trata de receber vários canais de direções diferentes.

No caso da nossa coletiva, vamos utilizar antenas do tipo monocanal Yagi que apresentam uma série de vantagens sobre as antenas multi-canais. Vamos utilizá-las, entre outros motivos, porque recebemos sinais de três regiões diferentes. Com uma antena multi-canal teríamos que encontrar uma direção “média” de recepção (o que seria impossível). Com uma antena independente para cada canal, podemos direcionar cada antena corretamente, garantindo a recepção de sinais limpos, fortes e definidos. Permitirá ainda, atenuarmos ou amplificarmos cada canal separadamente, colocando todos no mesmo nível. As antenas multi-canais perdem também em comparação com as monocanais na relação frente/costa porque são mais sujeitas a recepção de imagens secundárias pela parte posterior da antena. Na antena multi-canal a intensidade de recepção de cada canal é também muito variável.

Antenas Externas Multibanda para VHF – Linha Selada

ANTENA RECEPTORA DE SINAL PARA TV, é um equipamento utilizado para receber ondas eletromagnéticas na faixa de VHF, a qual é enviada ao televisor através de uma linha de transmissão (fios de 300Wou cabos coaxiais de 75W).

Antenas Monocanais de VHF para Coletivas

A linha de antenas coletivas série CL são fabricadas com materiais não ferrosos como alumínio, Iatão e nylon. Entre as principais vantagens de uma antena coletiva, podemos destacar:

  • Com o sistema coletivo, desaparece a interferência em decorrência da proximidade de outras antenas que progressivamente, tende a perturbar a qualidade da imagem.
  • O custo de uma antena coletiva de boa qualidade é distribuído entre diversos usuários.
  • Excelente diretividade, alto ganho e baixa relação de onda estacionária.
  • Conexões com contatos anti-oxidante e abraçadeiras com tratamento anti-ferrugem.

Antena UHF

antena-uhf-424c

Antenas Super Direcionais UHF – Hight GD

Catálogo Antenas/CATV -25- Comparada com outros modelos, verifica-se que a antena HIGHT GD é sem dúvida um grande avanço tecnológico na recepção de sinais de UHF. Nos seus três modelos – BANDA IV (cód. 418C), BANDA V ( 419C) e TODA BANDA (420C) – levam incorporada uma caixa de conexão que tem por finalidade:

  1. Proteger os contatos e as ligações contra intempéries.
  2. Transformar a impedância da antena 300 para 75 que é a impedância do cabo coaxial usado nas instalações de TV.

As antenas códigos 418C1, 419C1 e 420C1 possuem um misturador de VHF e UHF incorporado na caixa de conexão. Assim é possível ligar o cabo que vem de uma outra antena de VHF e descer com os sinais de VHF e UHF num mesmo cabo.

Antena é um conjunto de equipamentos (antenas receptoras, misturadores, boosters, amplificadores, divisores, tomadas etc.) que captam os sinais de TV e Rádio, amplificam, misturam e distribuem os sinais através de uma rede de distribuição a cada usuário (ponto), de forma que os sinais disponíveis na instalação sejam iguais em todos os pontos. Em outras palavras, que o primeiro andar tenha as mesmas condições de recepção que o último andar.

Em um projeto de antenas , são diversos os pontos a considerar, os quais iremos explicar a seguir:

A localização do local nos dará a melhor posição das antenas, determinando o melhor lugar para a obtenção de maior qualidade de sinal, para evitar ao máximo fantasmas, interferências, etc. Daqui partiremos para obter os dados de intensidade de sinal e canais recebidos. O sistema de distribuição a ser utilizado será dado pela configuração da instalação. Dele depende se a instalação é externa ou interna,em série,em espinha dorsal ou se tem alguns pontos especiais. Com estes dados partiremos para fazer a distribuição eqüitativa, fazendo um croqui, no qual será muito importante a distância (metros) entre os diferentes pontos. Todo este conjunto de dados nos fornecerá o melhor sistema de distribuição e,conseqüentemente, a menor atenuação na instalação. É a freqüência para a qual a antena apresenta rendimento máximo.

Assim, quando falarmos que uma antena é do “canal 5″ queremos dizer que sua freqüência de ressonância é a mesma deste canal e que nele apresentará o máximo rendimento. Embora, especificada para uma dada freqüência, a antena poderá captar, com relativa eficiência, as freqüência próximas destas. Assim uma antena para a freqüência de 180 MHz, cuja faixa seja de 12 MHz, por exemplo, recebe freqüência desde 174 até 186 MHz.

Dizemos que uma antena é de faixa estreita, quando se destina a apenas um canal, abrangendo apenas 6MHz aproximadamente. Por outro lado, a antena dita de faixa larga quando capaz de operar satisfatoriamente com vários canais. As freqüências de trabalho das estações transmissoras de TV estão divididas em dois grupos: canais baixos e canais altos.

  • CANAIS BAIXOS: São os canais de 2 a 6
  • CANAISALTOS: São os canais de 7 a 13

Observação:

O ganho de uma antena é um dado comparativo. É a relação entre a energia captada por uma antena qualquer e a energia captada por uma antena padrão, nas mesmas condições de teste. O ganho é conseqüência da diretividade da antena, que é a capacidade de receber mais sinais vindos de uma direção preferencial que de outras. Quanto mais diretiva for a antena, maior seu ganho. A diretividade de uma antena depende da sua construção, ou seja, do tipo e do número de elementos utilizados. O ganho das antenas é normalmente expresso em decibéis (dB). Quanto maior o número de decibéis (dB) maior o ganho da antena.

Nem sempre a antena de maior ganho é a mais indicada para uma determinada instalação. Tudo vai depender da localização da antena transmissora, do canal de televisão,em relação a antena receptora de nossa residência.

Se a antena do canal de televisão estiver muito próxima da residência deve-se optar por uma antena receptora de baixo ganho, porque o sinal chega forte. Caso contrário, vamos saturar (distorcer) o sinal na entrada do aparelho de televisão. Por outro lado, se a antena do canal de televisão estiver muito longe, deve-se escolher uma antena receptora com ganho mais elevado, porque o sinal vai chegar muito fraco por causa da distância.

Aspiração Central

Central de Limpeza a Vácuo, representa uma nova idéia de higiene e limpeza, completamente diferente dos tradicionais sistemas de limpeza por aspiração. O sistema de Limpeza a Vácuo, consiste em uma rede de tubos de PVC instalados no interior das paredes, em cima de forros ou sob o piso, e que transportam a sujeira até uma central colocada em um ambiente externo a partir de tomadas instaladas em pontos estratégicos. Para ativar o sistema, basta plugar a mangueira na tomada mais próxima e já estará funcionando, sem ruídos, sem incomodações.Esta instalação evita o passeio com equipamentos pelos ambientes, além de eliminar o barulho da máquina e os ácaros, que normalmente passam pelos filtros dos aspiradores comuns e acabam piorando a qualidade do ar. Estudos já realizados e comprovados mostram que um sistema de limpeza a vácuo retira 100% do pó aspirado sem recirculá-lo no ambiente.

Vantagens da Aspiração Central

Velocidade da limpeza: Efetiva rapidez para fazer a limpeza, graças a notável praticidade. De fato, pelo conceito que o sistema proporciona, é suficiente utilizar uma mangueira leve e maleável, com dimensões adequadas ao uso específico. Tudo isso se traduz em economia de tempo e dinheiro.

Máxima higiene: A máxima higiene é de importância fundamental, garantida pela notável potência e pelo filtro de poliéster de alto rendimento, ideal para reter as partículas mais finas e, sobretudo, por não fazer com que o ar insalubre circule novamente no ambiente de utilização (como acontece nos sistemas tradicionais), protegendo a saúde das pessoas presentes.

Silêncio: As operações são feitas no maior silêncio. A central de aspiração é colocada num local distante e permite uma utilização ideal a qualquer hora do dia. Estética: O impacto estético do sistema é muito agradável, pois o único detalhe visível é a tomada de aspiração, que terá o design que você escolher.

Economia e Manutenção Reduzidas: Eliminação das manutenções necessárias num aspirador portátil e, portanto, amortização dos custos iniciais de compra e instalação em pouco tempo. O filtro de grande superfície feito de poliéster pode ser limpo e reaproveitado, e o material recolhido no depósito de plástico pode ser facilmente esvaziado.

Automação Residencial

Os principais sistemas de Automação residencial são os seguintes:

  • Segurança: Alarmes, Monitoramento, Circuito Fechado de TV, Controle de Acesso;
  • Entretenimento: Home Theater, Áudio e Vídeo Distribuídos, TV por Assinatura;
  • Controle de Iluminação;
  • Home Office: Telefonia e Redes;
  • Ar Condicionado e Aquecimento;
  • Portas e cortinas automáticas;
  • Utilidades: bombas e limpeza de piscinas, controle de sauna, irrigação automática. Aspiração central a vácuo;
  • Infraestrutura: Cabeamento Dedicado, Cabeamento Estruturado, Painéis, Quadros de Distribuição;
  • Controladores e Centrais de Automação;
  • Softwares de controle e integração;

Atualmente, podemos definir três níveis de interação:

Sistemas Autônomos, Integração de Sistemas, e a Residência Inteligente.

Nos Sistemas Autônomos, podemos ligar ou desligar um subsistema ou um dispositivo específico de acordo com um ajuste pré-definido. Porém, neste esquema, cada dispositivo ou subsistema é tratado independentemente, sem que dois dispositivos tenham relação um com o outro.

A Integração de Sistemas é projetada para ter múltiplos subsistemas integrados a um único controlador. A limitação deste sistema está em que cada subsistema deve ainda funcionar unicamente na forma a qual o seu fabricante pretendia. Esta integração já permite uma ampla gama de benefícios aos usuários e lhe garante a máxima eficiência no aproveitamento dos recursos utilizados.

Na Residência Inteligente, o produto manufaturado pode ser personalizado para atender às necessidades do proprietário. O Integrador de Sistemas em conjunto com o proprietário delinearão instruções específicas para modificar o uso do produto. Assim, o sistema torna-se um gerenciador ao invés de apenas um controlador remoto. Os sistemas residenciais inteligentes dependem de comunicação de mão-dupla e feedback de status entre todos os subsistemas para um desempenho acurado.

Para tomar vantagem da tecnologia mais recente, os proprietários têm uma expectativa maior quanto aos construtores fazerem as coisas de modo diferente do que antes faziam. Os construtores, de forma a participar deste lucrativo novo mercado, precisam educar a si próprios e treinar ou contratar indivíduos para atuar como Integradores e Instaladores de sistemas residenciais.

A comunicação entre o construtor e/ou Integrador e Instaladores com os proprietários é a chave para o sucesso.

Um bom projeto de Automação Residencial resulta numa interface amigável para o usuário final, que dele poderá obter variados benefícios, dos quais destacamos:

  • economia
  • segurança
  • comodidade
  • conforto
  • entretenimento
  • confiabilidade
  • velocidade
  • interatividade

Fonte: Aureside

Cerca Elétrica

Cada dia mais, a proteção perimetral é utilizada, dificultando a sua obstrução através da cerca elétrica e outros. No caso da cerca elétrica, o choque é pulsativo e não mata. As centrais vendidas no mercado são de 8.000 – 10.000 – 12.000 volts, este tipo de choque repele o invasor, fazendo com que ele sinta (nos membros superiores) uma forte contratura muscular e fique sem ação, o susto é grande! Animais que, por ventura, encostem na cerca não sofrerão choque letal, pois é indiferente ao peso do ser humano ou do animal! Kit composto por central eletrônica, sirene, hastes de alumínio e cabos. Ideal para instalação sobre muros e grades acima de 2,00mt. Inibe tentativa de invasores. Consiste em uma cerca com 4, 6 ou 8 filamentos de fios ligados a uma central de choque.

Efeito inibidor psicológico: É constituída por fios de aço inox de alto brilho, sustentados por hastes de alumínio ou ferro, com isoladores em poliéster e polipropileno de fácil visualização, o que inibe invasores. Estes fios, quando rompidos ou tocados, provocam o disparo da sirene, e como opção também podem acionar holofotes e discadoras telefônicas. Como fator inibidor, este sistema conta ainda com um ingrediente especial: o invasor recebe o pulso de alta tensão (entre 8.000 e 11.000 Volts, dependendo do modelo do aparelho), porém de baixíssima amperagem (0,002A). O choque é do tipo pulsativo aplicado a cada 1,2 segundos e dura apenas um milésimo de segundo, isso faz com que a descarga elétrica dê um tranco bem desagradável no invasor, mas o mesmo não corre risco de vida – não é fatal. Isso torna a cerca elétrica um sistema de proteção perimetral adequado e muito eficiente.

CFTV – Circuito Fechado de TV

Quem quer, pode ter. É fácil, simples e custa menos do que você imagina. Parece que de repente o que era apenas para ficção ,incorporou-se definitivamente na vida dos brasileiros. Equipamentos de circuito fechado de TV (CFTV) tornaram-se acessíveis, principalmente pelo baixo custo em consequência do aumento da produção, disponibilidade de técnicos especializados em instalação e manutenção. É muito comum ver hoje, o CFTV funcionando em residências, postos de gasolina, restaurantes, farmácias, padarias e em vários outros estabelecimentos de “pequeno porte”. Além da questão da segurança, esses equipamentos têm contribuído para melhorar o próprio atendimento aos clientes.

Mais que luxo, hoje em dia o sistema de CFTV, tornou-se sem dúvida uma ótima opção de segurança ou até mesmo uma necessidade indispensável para se viver com tranqüilidade. Mais que segurança, estes aparelhos proporcionam tranqüilidade, devido ao fato de estarem sempre ligados e atentos a tudo o que acontece no seu patrimônio 24 horas por dia, para qualquer emergência. Se você precisar de orientação técnica para desenvolver o projeto de instalação de CFTV, envie-me suas dúvidas para o nosso e-mail. Nós teremos o maior prazer em respondê-las e colocar profissionais especializados, capazes de desenvolver e aplicar, dentro de suas necessidades, este tipo de sistema.

Gravação de CFTV Digital (DVR STAND ALONE)

DVRs – Stand Alone são equipamentos de gravação digital, que efetuam a gravação em um HD e não necessitam de um computador. Podem ser feitos o controle e visualização remotamente, através de uma conexão de internet.

Gravador Multiplex Digital – equipamento de tecnologia digital para substituir Time-Lapse + Multiplexador administra as imagens de vídeo no HDD (disco rígido), podendo configurar a data e hora do início da gravação e da buscas das imagens gravadas, além de acessar via internet imagens ao vivo e reprodução das mesmas, via software. Equipamento com características das atuais placas de capturas, mas ainda perde em recursos, principalmente acessos via internet, mas com um benefício muito bom para condomínios, onde operadores não necessitam de conhecimento de informática, onde as placas de captura já necessitam.

Movimentador de Portão Deslizante

O automatizador para portões deslizantes é um produto que representa maturidade e confiança. Lançado já há algum tempo, é bastante conhecido e aplicado, sendo um dos líderes de seu segmento. Com design aperfeiçoado, tornou-se mais sóbrio e “clean”. Possui destravamento por chave com segredo, para casos onde é necessário destravar o portão, passando-o para o modo manual.

É protegido externamente por uma carenagem de proteção que possui abertura para o destravamento do portão. Tem uma proteção na engrenagem de tração que bloqueia a entrada de qualquer corpo estranho no mecanismo da máquina, funcionando também como recurso anti-esmagamento e evitando acidentes.

A nova geração de automatizadores possui sua eletrônica embarcada, junto ao automatizador, tornando a instalação muito mais simples. Tanto a central de comando, como o receptor,vêm acoplados no corpo da máquina. Módulo receptor RF 433,92 MHz incorporado na própria central. Dispensa, assim, furações de receptor avulso na parede da garagem onde o automatizador será instalado.

Método de gravação de controles “Code Learning”, gravando até 160 transmissores diferentes e independentes dos botões. A central eletrônica possibilita a instalação de outros acessórios, que agregam funções ao automatizador e dão mais segurança ao usuário, como receptor avulso, fotocélula, luz de garagem, antiesmagamento, sinaleira, botoeira, etc.

Módulos opcionais:

Fotocélula: dispositivo anti-esmagamento, evitando que uma pessoa ou veículo sejam pegos de surpresa no percurso do portão. Ao detectar algo no campo de passagem do sensor, a fotocélula envia um sinal ao automatizador para parar o portão e abri-lo, evitando o impacto.

Luz de Garagem: outro sistema muito importante é o dispositivo de luz de garagem, que aciona o acendimento da luz da garagem onde o automatizador está instalado, assim que o mesmo sofrer o acionamento de abertura / fechamento, possibilitando verificar se há algum indivíduo próximo a residência.

Anti-esmagamento: esse módulo possui um sistema que permite ajustar a força do automatizador. Com esse recurso, se o portão encontrar um obstáculo, ele entenderá que deve parar de exercer a força até dar o tempo do final do percurso de fechamento.

Sinaleira: alerta o pedestre da entrada e/ou saída de veículos em um determinado local.

Botoeira: dispositivo para interruptores, fixo por um fio, que aciona o automatizador.

Movimentadores Basculantes

  • Trilho de alumínio com sistema de canaleta que dispensa furação e torna a instalação mais rápida.
  • Aplicado em portões basculantes com contrapeso embutido;
  • Sistema de destravamento simples;
  • Sistema de fim de curso;
  • Pode ser instalado em ambos os lados do portão.

De fácil instalação, o automatizador BV Penta deve ser instalado na coluna lateral do portão. Recomendamos a aplicação de um único automatizador para portões com largura inferior a 4 metros, caso o portão possua dimensão igual ou maior a 4 metros, ou ainda, se for um portão pesado, utilizar dois automatizadores.

Eletrônica Embarcada: A nova geração de automatizadores PPA possui sua eletrônica embarcada, junto ao automatizador, tornando as instalações muito mais simples. Tanto a central de comando; como o receptor; vêm acoplados no corpo da máquina.

Movimentador Pivotante

  • Trilho de alumínio com sistema de canaleta que dispensa furação para o encaixe e ajuste do fim de curso, proporcionando uma instalação mais rápida.
  • Destravamento do redutor com chave própria.
  • Sistema de fim de curso e sistema anti-esmagamento ajustáveis.
  • Aplicação em portões de uma ou duas folhas (duas máquinas) com abertura interna ou externa.

O automatizador pivotante pode ser aplicado em portões residenciais e industriais, respeitando-se sempre a especificação de cada modelo e a dimensão da folha.

Porta de Enrolar

O automatizador dispensa o uso de cadeados ou similares na folha da porta.

  • Instalado na lateral da porta: espaço mínimo de 20cm.
  • Não possui sistema anti-esmagamento.

Porta Social

Indicado para locais de médio fluxo de pessoas, como hotéis, restaurantes, aeroportos, universidades, condomínios, etc. Tanto nas entradas principais, quanto nas portas internas, oferece sofisticação ao ambiente e benefícios, como isolamento acústico e térmico.

Produzido totalmente em plástico de engenharia, é silencioso, de fácil instalação e trabalha com um regime de fluxo contínuo de 180 manobras por hora. Seu sistema de acionamento funciona por radar de microondas, sensor infra-vermelho ou de presença, controle-remoto ou cartão de proximidade.

Seu motor não possui escovas, garantindo maior robustez e durabilidade ao produto, como também baixa emissão de ruído sonoro ao ambiente.

Seus movimentos de aceleração e desaceleração são suaves. Possui sistema “anti-pânico”, permitindo ao usuário abrir a porta manualmente e com facilidade em caso de emergência, devido à reversibilidade do motor.

Automatiza portas sociais de 1 folha (com carga até 90 Kg), ou portas sociais de 2 folhas (com carga máxima de até 75 Kg cada folha). Trabalha com movimentos simultâneos e opostos. Sua velocidade máxima de abertura é de 0,25 m/s (por folha) e a de fechamento é 40% menor que a velocidade de abertura, garantindo maior segurança.

Possui recurso “Anti-esmagamento” que permite a abertura automática em caso de obstrução durante o fechamento da porta. E tem a “Trava Eletromagnética”, que impede a abertura manual da porta social, caso necessário; e a “Fotocélula” , um componente de segurança que impede o fechamento da porta social caso exista um obstáculo em seu percurso; como opcionais.

Cancelas

Em duas versões: simples e articulada.

  • Aplicadas em acessos industriais, comerciais e de condomínio.
  • Libera o fluxo de veículos com rapidez.
  • O acionamento pode ser feito por controle remoto, botoeira ou controle de acesso.
  • Barreira produzida em alumínio.
  • Comprimento da barreira: máxima de 6 metros para versão simples e 5 metros para a versão articulada.
  • Corpo da cancela produzido em chapa de aço galvanizado com pintura a pó (poliester).
  • Balanceamento por mola de compressão.
  • Possui sistema anti-esmagamento e destravamento manual.

As cancelas automáticas são um recurso importante para garantir a segurança de tráfego em empresas, shoppings, recintos de exposição, clubes, aeroportos, armazéns, hospitais, estacionamentos, etc. Elas podem ser simples ou articuladas. A cancela simples possui comprimento de barreira de até 6 metros e a cancela articulada até 5 metros. O modelo articulado é mais indicado para locais que tenham obstruções no levante da barreira simples. As barreiras são produzidas em alumínio e o corpo em chapa de aço galvanizado com pintura a pó (poliester), o que garante grande resistência à ação do tempo. Trabalham com motores de 1/3HP trifásico (220V / 380V) ou 1/4 monofásico 220v.

Placas de Captura de Vídeo

Placas de captura de vídeo são hardwares que nos ajudam a passar vídeos de dispositivos externos para o computador, transformando em arquivos digitais (AVI, MPEG).
Ela irá efetuar a transferência dos dados (imagem+som) da camêra para o HD.
Disponibiliza imagem diretamente ao computador e grava as imagens diretamente no HD, são placas de captura de video ou DVR (Digital Video Recording) exemplo: Pico 2000 – VTSK – Aver Media – GeoVision – TW800 e outras; encontrará placas para 04, 08, 16 ou 32 câmeras de várias velocidades 30, 60, 120,240 e 480 frames; inclusive sistema mais modernos com conexão USB sem precisar instalar placas no computador; finalidades das mesmas e ter um sistema de segurança com instalações de câmeras, gravando tudo diretamente no computador e liberando essas mesmas imagens via internet.

Porteiro Eletrônico Coletivo e Individual

São constituídos basicamente de uma placa de rua e de um interfone. A placa de rua é instalada na porta de entrada e o interfone no interior do imóvel. A placa de rua é para a comunicação do visitante com o morador da residência. O interfone é para a comunicação do proprietário do imóvel com o visitante.

Já no sistema coletivo a proposta é a mesma, porém dividida a chamada individualmente a vários apartamentos e residências com sigilo ou sem.

É um painel instalado, normalmente próximo, à porta de entrada de um edifício de apartamentos. Neste painel, temos um alto-falante, um microfone de eletreto, para o visitante comunicar-se com os apartamentos, e uma série de chaves, também chamadas de ramais correspondentes ao número de apartamentos do prédio. Dependendo da necessidade, podemos ter placas de 1 a 60 pontos (ou ramais). Para chamar um apartamento, basta o visitante pressionar o botão (chave) da placa de rua correspondente ao número do apartamento que deseja falar.

A Thevear produz dois tipos de modelos de placas de rua: o modelo TRADICIONAL e o modelo DANÚBIO DOBRAVÉL.

Intercomunicador

Permite a comunicação entre até cinco lugares diferentes, o acesso à uma placa de rua de um porteiro eletrônico, o acionamento de uma fechadura, e ser usado em elevadores.

O sistema de intercomunicação Ipanema é constituído de dois tipos de Intercomunicadores: o base e o extensão.

Esteticamente, esses dois intercomunicadores são iguais, porém, internamente são totalmente diferentes.

Central Portaria

Permitem a comunicação entre um apartamento (residência) e a portaria de um condomínio. Possibilitando também a comunicação entre apartamentos, ou de um apartamento para um porteiro eletrônico.

A central automática de comunicação telefônica (CAT) DIGITAL:foi projetada com um grande número de facilidades destinadas à intercomunicação em apartamentos e condomínios. É um equipamento de fácil instalação e manutenção devido as suas características técnicas.

  • Placa e monitores do vídeo porteiro coletivo digital (opcional);
  • Placa de porteiro coletivo (opcional, com acionamento de 2 fechaduras);
  • Placa de porteiro coletivo para vários blocos (opcional, com acionamento de 2 fechaduras); Interface de câmeras (opcional); Placa de porteiro individual (opcional, com acionamento de 2 fechaduras);
  • Até 4 enlaces internos ou 3 enlaces internos e 1 externo (com tronco);
  • Até 48 ramais ( modular com placas de 8 ramais); Até 1 tronco (opcional);
  • Bloqueio de chamadas a cobrar, locais,DDD e DDI; Siga-me e HOT-LINE Não perturbe;
  • Música de espera para ligação externa; Toques diferenciados para ligação interna, externa e placa de porteiro ( ou ); Senha para abertura da fechadura através da
  • TH-PVPCDI
  • TH-MVPCDI
  • PCS-CAT
  • PCBS-CAT

Vídeo Porteira Coletivo Digital Thevear

Este sistema foi projetado para dar a tranqüilidade e a segurança que um sistema coletivo de comunicação possibilita, visualizando o visitante através da placa THPVPCDI, e a comodidade de realizar o controle de acesso do seu próprio apartamento ou residência através de um fecho (FEM) ou fechadura eletromagnética (THF) ,que são acessórios opcionais.

Para a instalação, é necessário ter como base o sistema da central CAT – Central

Automática de Comunicação Telefônica. Este sistema permitirá a comunicação no prédio ou condomínio, com algumas facilidades de operação e funções programáveis.

Este produto foi especialmente projetado para ser utilizado em conjunto com a central CAT. A Thevear não se responsabiliza por utilização com centrais ou equipamentos de outros fabricantes.

Facilidade na instalação e operação do equipamento com um design moderno.

Placa do Vídeo Porteiro Coletivo Digital – Código: TH-PVPCDI

Projetada para facilitar o controle de acesso em residências e condomínios, a placa TH-PVPCDI (acessório da central CAT) permite a comunicação com qualquer monitor TH-MVPCDI ou telefone ligado à central e o acionamento de até duas fechaduras eletromagnéticas (opcionais).

Câmera CCDPIN-HOLE P/B 0,3 LUX; Acionamento de até 2 fechaduras eletromagnéticas ligadas à placa, via telefone e/ou botoeira (botoeira somente na primeira fechadura);

Até 126 senhas para acionamento da primeira fechadura eletromagnética; Comunicação direta e sigilosa com qualquer ramal ligado à central, com vídeo (TH-MVPCDI) ou telefone; Iluminação do teclado; Placa de sobrepor.

Vídeo Porteiro Residencial Thevear

O vídeo porteiro, modelo TH-VPR/4000, consiste de um monitor e uma câmera, através do qual estabelece uma comunicação áudio e vídeo.

A instalação é simples: 4 (quatro) fios para conectar a câmera ao monitor e 5 (cinco) fios entre o monitor e as extensões.